Investidores devem assumir a KirchMedia


Investidores devem assumir a KirchMedia

Cibele Santos

[26/03 - 15:06] Gigante da mídia alemã cede o controle da unidade para escapar dos credores

Tudo indica que a KirchMedia, divisão de licenciamento esportivo do Kirch Gruppe, está próxima a um acordo final com acionistas e credores para levantar os E 800 milhões (US$ 699 milhões) de que precisa para evitar a falência.

O preço do socorro, entretanto, será amargo para o magnata Leo Kirch, que perderá o controle do grupo para outros acionistas - entre eles os arqui-rivais Rupert Murdoch (News Corp.) e Silvio Berlusconi (MediaSet e Fininvest) --, ficando com menos de 50% das ações contra os atuais 80%.

Por outro lado, os analistas europeus acreditam que as cláusulas do acordo deverão incluir a garantia de que nenhum investidor estrangeiro (principalmente Murdoch) assumirá o controle do maior grupo da mídia alemã, que entre outras propriedades detém 52% da maior rede de TV do país, ProSiebenSat.1. O mais provável será uma fragmentação das ações entre as partes interessadas, que incluem os investidores corporativos News Corp, MediaSet e Fininvest; os bancos de investimento Lehman Brothers e Kingdom Holdings (do príncipe saudita al Waleed); e os bancos credores Bayerische Landesbank, Commerzbank, DZ-Bank e HypoVereinsbank.

A imprensa européia prevê que uma nova estrutura da unidade poderá ser divulgada ainda nesta semana. O que não significará, entretanto, o fim das agruras da Kirch. Os 40% que o grupo possui da Axel Springer e os direitos sobre as corridas de F1 já estão à venda; e, se não conseguir urgentemente uma forte injeção de capital, esse também será o destino da plataforma de TV paga da holding, a Premiere World.