CBF e Globo desvalorizam Copa do Brasil

São Paulo, sexta-feira, 29 de março de 2002

Fonte: Folha de São Paulo FERNANDO MELLODO PAINEL FC MARÍLIA RUI

CBF e Globo desvalorizam Copa do Brasil

Entidade e emissora aprovam aditivo em contrato de
transmissão; grandes, que não receberam nada, reclamam

A Globo pediu, e a CBF aceitou reduzir em quase 25% os
valores a serem pagos pela emissora para transmitir aCopa do Brasil-2002.
De acordo com o aditivo do contrato, assinado no Rio,
a TV pagará R$ 19 milhões para exibir os jogos da
competição -o montante previsto, segundo acordo
firmado em 2001, era de R$ 25 milhões para este ano.
A emissora alegou que não teria como recuperar com os
anunciantes o investimento feito no torneio, e a
entidade máxima do futebol brasileiro aceitou
renegociar o contrato, validado até 2004.
Ao contrário do que acontece nos regionais, estaduais
e no Campeonato Brasileiro, os direitos sobre a Copa
do Brasil são negociados diretamente entre Globo e
CBF, organizadora do evento. Os clubes entram no
acordo apenas como intervenientes.
Pelo aditivo, a empresa pagará à CBF R$ 15 milhões em
dinheiro -sendo que R$ 1 milhão será destinado aos
clubes da Copa Norte. Outros R$ 4 milhões referem-se a
custeio de viagens e hospedagem dos times.Até agora, com a Copa do Brasil já nas
oitavas-de-final, nenhum dos 64 clubes participantes
recebeu sua cota de TV. O pagamento é feito pela CBF.
"Ainda estamos jogando de graça. Até agora, não fui
informado de nenhuma definição sobre a renegociação
entre Globo e CBF", afirmou Alberto Dualib, presidentedo Corinthians.
A discussão chegou à reunião do Clube dos 13, na
última terça-feira. Homem-forte do Atlético-MG,
Alexandre Kalil interpelou Fábio Koff, presidente da
entidade, sobre a inadimplência da TV Globo na Copa doBrasil.
"A grande questão é que os clubes, que são aqueles que
participam do campeonato, estão alijados da discussão.
Como é que se pode confiar em uma entidade que está
implicada em escândalos dos pés à cabeça? As CPIs
mostraram que a CBF não tem a menor competência
administrativa para nos representar", disse o
presidente do Conselho Deliberativo do clube mineiro.
À Folha, Marcelo Campos Pinto, diretor-executivo da
Globo Esportes, confirmou a finalização da negociação
e os valores do novo acordo com a CBF.
"Propusemos uma renegociação e chegamos a um acordo. O
pagamento pela Copa do Brasil começará a ser feito
agora em abril", disse o executivo.
De forma reservada, outros dirigentes reclamaram da
renegociação do acordo. Todos disseram que os clubes
teriam que ter participado das conversas.
Contatado pela reportagem, Koff preferiu não comentar
o acordo. Disse que o assunto será discutido na
próxima reunião da entidade, que ocorrerá em 15 dias.
Não é a primeira vez que a Globo consegue redução nos
contratos relacionados ao futebol.
No fim do ano passado, com a formação da Liga Rio-São
Paulo, a emissora conseguiu um desconto de 33% para
transmitir o regional -para exibir os dois Estaduais e
o Rio-SP em 2001, a TV desembolsou R$ 97 milhões.
Como rompeu os acordos pelos Estaduais neste ano, teve
que pagar R$ 65 milhões para ter os grandes paulistas
e cariocas em sua grade de programação no primeirosemestre.