IBM investe pesado em prestação de serviço esportivo

 

Elizabeth Primrose-Smith é vice-presidente mundial de patrocínio olímpico e esportivo da IBM.
Elizabeth coordena as parcerias da IBM com a NBA (liga profissional norte-americana de basquete) e a ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), entre outras. Ex-nadadora, ela conquistou medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de São Paulo, em 1963, e no auditório da Folha falou sobre a virada na visão de marketing promovida pela IBM desde 1994.
Deixando de lado o patrocínio tradicional, baseado em fornecer recursos para um clube, atleta ou evento em troca da exposição da marca do patrocinador, a IBM vem investindo em fornecimento de serviços de tecnologia. "Mostrar a marca, principalmente no caso da IBM, já mundialmente conhecida, não agrega tanto valor à empresa. Interessa muito mais mostrar o que a IBM é capaz de fazer", resumiu Elizabeth.
Com essa intenção, a empresa vem, por exemplo, fornecendo estatísticas, via Internet, para os técnicos da NBA durante os intervalos de jogo, para facilitar a preparação de novas estratégias. "Ao chegar no vestiário, o treinador tem em mãos os números de aproveitamento de cada jogador e pode saber que com determinados atletas o seu time rende mais contra determinados atletas da equipe adversária", exemplificou a vice-presidente.
O maior projeto até agora da IBM no campo esportivo é o trabalho que será desenvolvido durante a Olimpíada de Sydney, na Austrália. O valor do investimento não foi revelado por Elizabeth, mas ela acredita que seja o maior entre os patrocinadores do evento. Parte do dinheiro aplicado pela empresa pode ser "visto" no site oficial dos jogos ou no da própria IBM, que oferece informações em oito idiomas, inclusive português brasileiro. Para a época dos jogos, também estará funcionando o sistema de fan mail, pelo qual será possível enviar mensagens para os atletas de todos os países e modalidades. A IBM só não vai transmitir os jogos via Internet.
"Seria possível fazer isso, mas a realização das transmissões esbarra nos contratos entre os organizadores da competição e as redes de TV, ligados a limitações regionais, algo inexistente na Internet. De qualquer forma, o site já oferece informações que as TVs nunca teriam capacidade de oferecer. Nós vamos conseguir, por exemplo, informar resultados, em tempo real, de até 25 provas acontecendo simultaneamente, e não mostrando apenas os três melhores resultados, mas todas as colocações", afirmou a vice-presidente.
E por que tanto investimento especificamente no esporte? "Quem é fã, quem acompanha um esporte, é apaixonado, busca se informar e saber o máximo possível sobre a modalidade. Essa atenção nos interessa em especial", resumiu Elizabeth.