Libertadores: redução de cotas

Sexta-feira, 18 de janeiro de 2002 , Jornal da Tarde

Libertadores: redução de cotas não vale para 1ª fase

Em reunião realizada ontem em Assunção, ficou acertado que a redução de 30% no valor das cotas entrará em vigor apenas a partir das oitavas-de-final

Depois de uma reunião realizada ontem na Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) entre o presidente da entidade, Nicolás Leoz, dirigentes das federações dos países envolvidos na Copa Libertadores e representantes da TyT - empresa de marketing esportivo que detém os direitos de comercialização do torneio -, ficou definido que não haverá nenhuma alteração no valor da premiação aos clubes durante a primeira fase da competição. A redução de 30% no valor das cotas ocorrerá a partir das oitavas-de-final. A competição começará no dia 5.

O problema surgiu depois que a TyT declarou não poder pagar o valor previamente estabelecido porque não conseguiu vender os direitos de transmissão para emissoras da Argentina por causa da crise financeira vivida pelo país.

A decisão de ontem agradou principalmente aos pequenos clubes, que dificilmente passarão à próxima fase. Na primeira, as equipes receberão US$ 450 mil - US$ 150 mil por mando de jogo. "Depois, serão US$ 200 mil a cada equipe nas oitavas-de-final, US$ 300 mil nas quartas e US$ 400 mil para as semifinais. O vice-campeão receberá US$ 500 mil e o campeão, US$ 1 milhão", confirmou Romer Osuna, tesoureiro da Conmebol.

Assim, o campeão receberá US$ 2,350 milhões e o vice, US$ 1,850 milhão. É que, além das cotas da televisão, há mais uma premiação da Toyota, uma das patrocinadores da competição. A empresa oferece ainda valores que variam de US$ 30 mil a US$ 40 mil pela publicidade estática nos estádios.


Atlético-PR abrirá a competição

Osuna confirmou também que até o fim do mês a TyT apresentará garantias bancárias. "Optamos em atender ao pedido feito pela TyT. E a reunião contribuiu para que isso acontecesse. Os clubes pediram que os compromissos fossem respeitados", disse Nicolás Leoz.

Segundo Luis Nossa, executivo da TyT, "foi feito um pequeno ajuste na proposta, mas os clubes aceitaram a redução e concordaram com o pagamento das premiações em seis cotas que serão pagas mensalmente, nos primeiros dez dias úteis de cada mês, sem a necessidade do pagamento de garantias bancárias."

"Estou muito satisfeito porque se conseguiu respeitar o contrato e os orçamentos das equipes, que já haviam levantado todos os custos para a primeira fase", comemorou Nicolás Delfino, dirigente peruano.

A Libertadores começará no dia 5 de fevereiro. O primeiro brasileiro a estrear será o Atlético Paranaense, em Curitiba, contra o Bolívar, da Bolívia. Os atleticanos estão no Grupo 4, que também tem Olmedo, do Equador, e América de Cali, da Colômbia. O São Caetano, que está no Grupo 1, ao lado do Cobreloa, do Chile, Cerro Porteño, do Paraguai, e Alianza Lima, do Peru, estréia dia 6, contra o Cobreloa, fora de casa. O Flamengo, no Grupo 8, estréia no dia 6, contra o Once Caldas, da Colômbia, fora de casa. Também estão na chave Universidad Católica, do Chile, e Olimpia, do Paraguai. No Grupo 2, ao lado do Oriente Petrolero, da Bolívia, 12 de Outubro, do Paraguai, e Cienciano, do Peru, o Grêmio estréia dia 7, contra os bolivianos.