Santo André se prepara para ser grande

Segunda-feira, 14 de janeiro de 2002 , Jornal da Tarde

Impulsionado pelos resultados que o São Caetano conquistou nos dois últimos anos, o que provavelmente mexeu com seu orgulho, o clube do ABC vai partilhar a administração da parte de futebol com a empresa Santo André Licenciamentos e investir no seu elenco para conquistar vitórias e títulos

A rivalidade regional entre as equipes de futebol do ABC paulista, esquecida nos últimos anos, está renascendo. Os dois vice-campeonatos brasileiros consecutivos conquistados pelo São Caetano, em 2000 e 2001, serviram como ponto de partida para que o Santo André, que vai disputar a primeira divisão do Campeonato Paulista, iniciasse o seu processo de profissionalização. Com apoio do prefeito petista da cidade, Celso Daniel, desde o ano passado o clube recebeu investimentos externos que geraram retorno. Nos próximos dias, um passo definitivo será dado com a criação da Santo André Licenciamentos, empresa que vai gerir o futebol do clube nos próximos anos.

"O Santo André nunca gastava além do que arrecadava. Com isso, sempre deixou de conquistar títulos nas divisões de acesso. Somente trabalhando em cima de um planejamento de marketing conseguiremos mudar essa situação", declara Celso Luiz de Almeida, vice-presidente de Futebol do clube e um dos três acionistas da Santo André Licenciamentos, ao lado do presidente do clube, Jairo Livólis, e do empresário Ronam Maria Pinto, que terá mais de 65% das cotas.

A empresa, que deverá anunciar seu diretor-geral nos próximos dias, cuidará dos fatores técnicos ligados ao futebol e comerciais, com total autonomia para definir as contratações e vendas de jogadores e a administração de suas carreiras. Para este ano promete investir R$ 4 milhões, 80% do orçamento previsto. O restante será bancado pelo próprio clube, que tem um quadro social composto por mais de 10 mil pessoas, mas que estatutariamente só pode investir 20% do que arrecada no futebol. A folha de pagamento mensal da equipe chega a quase R$ 300 mil.

"A participação do Esporte Clube Santo André será mais institucional, afinal estará cedendo sua bandeira para que o time possa disputar as competições.

Mas a parte administrativa será compartilhada", explica Klinger Luiz de Souza, secretário de Serviços Municipais de Santo André e vice-presidente administrativo do clube.

Nos próximos dias, o contrato social da empresa será finalizado pelo advogado João Zanforlim. A primeira medida será a aquisição de 50% do passe de todos os jogadores que fazem parte do atual elenco. Mas a partir das próximas contratações a situação vai mudar. "A Santo André Licenciamentos terá 80% do valor do passe de todos os atletas que vierem de fora e 50% dos que forem revelados pelas categorias de base do clube", explica Klinger, braço direito do prefeito Celso Daniel.

Conforme o andamento do processo, a empresa deverá lançar novas cotas. A participação no mercado de ações foi descartada de início. "Mensalmente, a Santo André Licenciamentos prestará contas ao Conselho Deliberativo do clube", aponta Celso Luiz.

O vice-presidente de Futebol explica que a profissionalização foi iniciada a partir de uma procura mais intensa por parceiros na própria região.

"Paralelamente desenvolvemos projetos que atraíram o torcedor ao estádio Bruno José Daniel. Muitos jogos foram comprados pela prefeitura e os ingressos distribuídos nas empresas. Também fizemos promoções com a venda de ingressos a R$ 1".


Patrocínio ainda indefinido

O número de patrocinadores, que no ano passado chegou a dez, ainda não está definido. Somente na camisa do clube quatro empresas estampam suas logomarcas (Coop, Rotedali, Diário do Grande ABC e Sinal Ronda). A Rhumell fornece de graça o material esportivo utilizado por todas as categorias do departamento de futebol.

O projeto de construção de um centro de treinamento com quatro campos oficiais também está em fase de estudos. Uma parceria com o Clube de Campo do ABC, no Parque Pedroso, deverá viabilizar o projeto. "O nosso CT vai ocupar uma área pertencente ao Clube de Campo, cujos sócios poderão utilizar-se das dependências do poliesportivo do Santo André", conta Celso Luiz.

"Teremos uma estrutura completa e facilidade de acesso de todas as partes da cidade, já que algumas linhas de ônibus têm o seu ponto final no Clube de Campo."

Caras conhecidas não faltam no elenco do Santo André que disputará o Campeonato Paulista da Série A1 e está realizando a pré-temporada em Araraquara. A principal delas é a do atacante Dinei, que assinou contrato com o clube até a metade do ano.

"Ele está totalmente recuperado, treinando como uma criança", revela o vice de Futebol. Comandado por Luiz Carlos Ferreira, com um currículo recheado de acessos em divisões menores do futebol paulista, o time também conta com o lateral Nelsinho (ex-São Caetano), o zagueiro Baresi, o meia Luís Fernando (ex-Gama), o volante Olídio, o meia Jean Carlo e o atacante Gílson Batata.


MARCELO ROZENBERG