Globo e emissoras de rádio estão perto de fechar acordo para a Copa de 2002



Dos US$ 3 milhões pedidos pela rede carioca, US$ 2 milhões seriam pagos em publicidade
LIVIO ORICCHIO

Os brasileiros que não tiverem acesso às transmissões por TV dos jogos da Copa do Mundo, poderão ouvir as partidas pelo rádio. Ontem, nos estúdios da Rede Globo no Rio, o Projac, representantes de 16 emissoras do País, reunidas com a diretoria da empresa, praticamente fecharam um acordo de comercialização dos direitos do evento.

A emissora carioca aceitou a proposta das rádios, que, em vez de pagarem os US$ 3 milhões anteriormente pedidos, desembolsarão US$ 1 milhão em dinheiro e cederão à Globo espaço publicitário equivalente aos outros US$ 2 milhões.

Assim, cada rádio pagará cerca de US$ 70 mil em dinheiro e repassará à Globo aproximadamente US$ 125 mil em espaço para a divulgação de publicidade.

A situação da negociação com as emissoras de televisão, no entanto, é bem diferente. Até ontem não havia uma única rede em vias de fechar negócio com a Globo, que pede US$ 60 milhões pelos direitos de transmissão, valor que também seria rateado entre os interessados.

No fim da tarde, porém, a Globo decidiu oferecer um desconto de 40% (US$ 24 milhões) sobre o valor proposto inicialmente. Mesmo assim, ao que tudo indica, os jogos da Copa do Mundo só serão mesmo transmitidos pela Globo, que pagou US$ 221 milhões pelos direitos de TV, rádio e Internet. "A Globo terá um prejuízo de US$ 100 milhões com a Copa", disse o representante de uma estação de rádio presente ao encontro.

A reunião de ontem, no Projac, foi a segunda rodada de negociações entre as empresas de rádio e a Globo. No dia 8 de novembro, no escritório comercial da emissora, em São Paulo, a diretora do Globo Esporte, Márcia Sintra, havia apresentado o plano de venda dos direitos da Copa do Mundo: US$ 3 milhões.

Coube à Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) tentar mediar as conversas entre os representantes das emissoras de rádio interessadas em transmitir a Copa de 2002. Mas foi apenas a partir da aceitação da contraproposta das rádios que tudo se acertou, ontem, no Rio.