Comitê Olímpico Brasileiro assina contrato com IMG


14/09/2001 - Agência Folha Em São Paulo

Sem patrocínio desde o final da Olimpíada de Sydney (Austrália), no ano
passado, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) irá assinar, na próxima
segunda-feira, um contrato com a IMG (International Management Group), maior
empresa de marketing do mundo.
Mesmo com o novo contrato, o COB continuará sendo cliente da LG Ventura,
empresa de marketing da entidade desde 1998. A agência também terá um
contrato com a IMG e continuará trabalhando com a entidade.
Segundo o diretor comercial da IMG no Brasil, Roberto Karbage Machado, o
contrato representa "mais um passo da empresa no esporte brasileiro".
A IMG, com sede em Cleveland, nos EUA, tem escritórios em mais de cem
países. A empresa gerencia a carreira de cerca de 500 atletas, entre eles o
golfista Tiger Woods e os tenistas Pete Sampras e Andre Agassi.
Os comitês olímpicos dos EUA e da China também são seus clientes.
A IMG gerencia ainda a liga norte-americana de futebol (MLS) e é parceira da
ATP nos quatro Grand Slams (Austrália, EUA, França e Inglaterra), entre
outros eventos esportivos.
No Brasil, cuida das carreiras do piloto da Indy Gil de Ferran e, fora do
esporte, das modelos Gisele Bündchen e Daniela Sarahyba.
A empresa também negocia a compra de 49% das ações da Globo Esportes, braço
das Organizações Globo, conforme revelou a Folha de S.Paulo em junho passado.
Com a assinatura do contrato com o COB, a IMG ganhará um cliente acostumado
a não ter patrocinador em anos sem competições importantes, como Olimpíada e
Pan-Americano.Atualmente, a entidade tem apenas um contrato de fornecimento de
material esportivo, com a Olympikus, até 2004.
Em anos olímpicos, o COB vê crescer o número de patrocinadores. Em 2000, ano
da Olimpíada de Sydney, a entidade era patrocinada por seis empresas
(Petrobras, Intelig, Banco real/Real Seguros, Zip.Net, Sansung e Roche).
O valor total dos patrocínios chegou a cerca de R$ 5,5 milhões,
aproximadamente 18% do dinheiro obtido pela entidade no ano (cerca de R$
23,6 milhões).
Em 1999, ano do Pan-Americano de Winnipeg, o COB recebeu R$ 1,65 milhão dos
patrocinadores (Petrobras e Roche).
A verba oriunda do governo ainda é a maior fonte de renda da entidade. Em
1999, foram aproximadamente R$ 1,9 milhão. No ano passado, o governo pagou
R$ 10,5 milhões à entidade.
Com a aprovação da Lei Piva, este ano, as loterias passaram a ser a maior
fonte de renda do COB.
Pela lei, as entidades olímpicas levarão 2% da arrecadação das loterias da
Caixa Econômica Federal, o que representa cerca de R$ 40 milhões/ano (85%
para o COB e 15% para o Comitê Paraolímpico Brasileiro).