Toda força ao marketing

Presidente que assumiu a Cart quer explorar ao máximo a Indy, com os carros mais rápidos do mundo, categoria que conta com muitas possibilidades de promoção


Joe Heitzler assumiu no início do ano a presidência da Cart, entidade que organiza a Fórmula Indy, com o intuito de fazer o que sabe: marketing. A idéia é aproveitar o potencial da categoria, que tem os carros mais rápidos do mundo e grande variedade de tipos de pistas, fazendo a promoção correta.

No último fim de semana, Heitzler reuniu a imprensa para uma entrevista coletiva em Cleveland, onde foi disputada a oitava prova do campeonato (a próxima será em Toronto, dia 15). Deu declarações de impacto, porém vagas, sobre a situação da categoria, os contratos de tevê, o calendário de 2002 e a corrida no Brasil.

"Eu vim para transformar isso em entretenimento", disse, antes de explicar seu plano: construir um museu virtual, um cinema e, claro, fazer uma corrida no circuito oval de 1,5 milha que fica nos arredores da cidade e já sedia corridas da Nascar e da IRL. "Já tem uma pista lá e podemos fazer uma corrida de quarta ou sexta-feira, às 18h. Seriam 21h na Costa Leste (horário nobre na tevê)." Lembrando que Las Vegas recebe de 38 a 42 milhões de turistas por ano, o dirigente afirmou que seria uma oportunidade de promover a categoria tanto no âmbito nacional quanto internacional - os organizadores estão tentando internacionalizar a Indy.

Quanto à etapa brasileira, cancelada neste ano por falta de pagamento da taxa cobrada pela Cart (seria no Rio), disse que Emerson Fittipaldi, promotor da prova, tem novas opções para trabalhar - referindo-se a Salvador como possível sede: "Não queremos perder o Brasil, com todos os pilotos brasileiros que temos aqui e os fãs que temos lá." Se no Brasil ainda há uma incógnita, parece certo que o México terá outra corrida, além de Monterrey.

Seria na Cidade do México.


Seria barato

É uma oportunidade barata de fazer um evento num país em que as pessoas se interessam (Monterrey, neste ano, recebeu mais de 300 mil espectadores). Sem falar que a Indy tem pilotos (Adrian Fernandez e Michel Jourdain Jr.) e patrocinadores (Tecate e Herdez) mexicanos.

Quanto às corridas marcadas para Inglaterra e Alemanha, em setembro, o presidente da Cart jurou que, apesar dos comentários relativos a problemas com investidores e público, tudo está mantido. Ele disse que recebeu ligações de promotores da China e da Malásia interessados em ter uma etapa:

"Lugares para a gente ir não faltam, só precisa ser viável."


Julio Cruz Neto, enviado especial