São Paulo, 9 de junho de 2001 - Lance!

Acordo furado - Copa de 2002

Depois de a Fifa anunciar contrato com três novos patrocinadores, empresa japonesa de telecomunicações desmente informação e deixa entidade em situação embaraçadora

Agências internacionais, Tóquio
A gestão do suíço Joseph Blatter à frente da Fifa parece mesmo estar fadada a problemas embaraçadores. Depois de ser forçada a adiar o Mundial de Clubes, que estava marcado para este ano na Espanha, a entidade passou por outra situação vergonhosa ontem.

A gigante japonesa de telecomunicações Nippon Telegraph e Telephone Corp (NTT) desmentiu a informação divulgada pela própria Fifa na quinta-feira e anunciou que não acertou nenhum contrato de patrocínio para a Copa de 2002.

– A NTT está envolvida apenas com a Copa das Confederações. Ainda estamos estudando a possibilidade de nos tornarmos patrocinadores do Mundial. Nada está decidido – afirmou o porta-voz da empresa japonesa, Keiko Akiyama, em entrevista à agência "Reuters".

Em situação constrangedora, a Fifa se limitou a divulgar um comunicado, afirmando que houve uma confusão, mas que já estão sendo feitos contatos para esclarecer a situação. Além da NTT, a entidade anunciou que a empresa de eletroeletrônicos Toshiba e o grupo americano Avaya patrocinarão a Copa de 2002. Os contratos teriam sido feitos pela Fifa Marketing AG, que assumiu a comercialização dos direitos das competições após a falência da ISL.

A ISL, empresa suíça de marketing esportivo, era parceira da Fifa desde 1982 e detinha os direitos de comercialização das Copas de 2002 e 2006, da Copa das Confederações e do Mundial de Clubes.

Ao quebrar, a ISL teria deixado uma dívida de US$ 300 milhões, o que levou a Fifa a adiar o Mundial de Clubes por falta de verba.