Nike lança campanha global para Copa na internet

Edson Porto

Época Negócios

20/05/2010

A empresa americana de artigos esportivos Nike anunciou nesta quinta-feira (20/05) o lançamento de sua campanha mundial para a Copa do Mundo em sites na internet, como o Facebook e o YouTube. A campanha, batizada de “Escreva seu Futuro”, tem estreia marcada na televisão de 32 países para o próximo sábado, dia 22.

O primeiro comercial da série, que terá novos episódios ao longo de toda a competição, tem 3 minutos de duração e será divulgado na íntegra neste sábado na Rede Globo e na Bandeirantes. Na internet, a versão inicial será menor. A web deverá funcionar como uma base importante para a campanha, cuja divulgação deve acontecer também em outras redes sociais, como o Twitter, além do site da própria empresa e de páginas especializadas em futebol.

Segundo Tiago Pinto, diretor de Marketing da Nike, a campanha é a última ação promocional da companhia antes do início da competição, no dia 11 de junho, na África do Sul. A Nike não divulga o custo da produção dos comerciais nem o investimento em marketing que está fazendo na competição, mas, segundo Pinto, em ano de Copa do Mundo a empresa concentra investimentos em futebol globalmente e está reforçando sua posição no Brasil. “Não falamos de números, mas posso garantir que os valores de investimento em marketing no país estão crescendo muito”, diz o diretor.

No começo desde mês a maior rival da Nike, a Adidas, divulgou que está ampliando seu orçamento de marketing no Brasil em 30% nesta Copa, quando comparado a 2006.

Sem divulgar os detalhes, Tiago Pinto afirma que a companhia, que é patrocinadora oficial da Seleção Brasileira, não poupou recursos na produção dos comercias. A direção das peças é de Alejandro González Iñárritu, também diretor dos filmes 21 Gramas e Babel, e elas contam com uma série de estrelas patrocinadas pela Nike, como Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney, Ronaldinho Gaúcho, o jogador de basquete Kobe Bryant e o tenista Roger Federer. A produção dos comerciais durou três meses e foi encerrada em maio.

Entre os brasileiros, o principal destaque fica com Ronaldinho Gaúcho, que não foi convocado para a competição pelo técnico Dunga. Pinto diz que os nomes dos atletas convocados para a série de comerciais não se baseou em sua confirmação ou não no mundial, mas “no que eles representam para o esporte”. Ele afirma em que nenhum momento a empresa pensou em tirar Ronaldinho do comercial, mas diz que uma das peças que serão mostradas ao longo da competição inclui Robinho.

Os comerciais brincam com a ideia de que um toque na bola, um lance, um gol pode ter enormes consequências na definição de uma partida, de uma competição, e, em última análise, na vida dos envolvidos. Os jogadores são mostrados em momentos cruciais de partidas imaginárias e têm flashfowards, nos quais vêem seu futuro, após realizarem um lance. Em uma das cenas, depois de ver a bola ser roubada pelo o francês Ribery, o astro inglês Wayne Rooney se imagina em desgraça por perder a Copa, vivendo em um trailer e empregado como jardineiro em um estádio de futebol decrépito. Após esses instantes de transe, ele se recupera e consegue impedir o ataque de Ribery, para daí se imaginar vencendo a competição, recebendo o título de Sir da Rainha da Inglaterra e até humilhando Roger Federer em uma partida de ping-pong.