Juventus pode ser primeiro clube do Brasil gerido por site

 

Marcio Orsolini

EXAME.com

02/06/2010

Todo torcedor tem sempre um palpite, uma nova tática e está pronto para discordar do técnico de seu time de futebol. Quantas críticas, por exemplo, Dunga recebeu ao divulgar os escolhidos para a Copa do Mundo? Influenciar na decisão do comandante da seleção brasileira não foi possível, mas os brasileiros poderão palpitar nos rumos de uma equipe menor. O Juventus, de São Paulo, está próximo de firmar uma parceria de co-gestão com a empresa de marketing esportivo Meu Time de Futebol (MTDF). O departamento jurídico do clube analisa os últimos detalhes do contrato para fechar o acordo, que terá duração até dezembro de 2011.

Criada em 2008, a MTDF nasceu como um site em que os torcedores se cadastravam para escolher em qual time gostariam de ter poder nas decisões. O Juventus foi escolhido pela maioria membros. Hoje, o site conta com 100.000 cadastrados e estima-se que 15% deles, pelo menos, aceitarão bancar a empreitada. Se o acordo com o Juventus for fechado, cada cadastrado que aceitar ser "técnico" do time deverá desembolsar, em média, 60 reais, dependendo do plano. Do total arrecadado, 85% serão investidos na equipe.

A MTDF avalia que serão necessários 2 milhões de reais para trazer o time de volta à elite do futebol. Hoje, o Juventus disputa o campeonato da série A3. Além do valor arrecadado entre os torcedores, a empresa também aposta em patrocínios. "Esperamos ainda conseguir até 1,2 milhão de reais em patrocínios por ano", disse a EXAME.com Vicente di Cunto, fundador da empresa. Ele afirma que há negociações com empresas de cartões de crédito e de artigos esportivos.

Depois de escolhido pelos associados, a equipe do MTDF procurou o Juventus para apresentar a proposta. A ideia apareceu com uma salvação para o time, que hoje não tem patrocinadores e acumula uma dívida de 4 milhões de reais em IPTU, já provisionada. O valor, no entanto, está longe de campeões de dívidas como o Fluminense, cujo rombo é de quase 330 milhões de reais (confira ranking abaixo). A diferença é que o Juventus-SP não tem como quitar a quantia. "Estamos limitados à verba que o conselho determina", diz Ivan Antipov, assessor da presidência para captação de recursos do Juventus. "A parceria com o MTDF é essencial para levantar o time."

Afinal, quem vai mandar?

"É preciso estabelecer os papéis de cada um na co-gestão, para que o projeto dê certo", diz Amir Somoggi, diretor da área de esportes da consultoria Crowe Horwath. "É mais interessante para um clube reorganizar a parte administrativa. Os grandes times têm dinheiro, mas falta direcionar melhor os investimentos."

Quanto a isso, as partes já estabeleceram como será a nova gestão. O presidente do Juventus continua no cargo e com o mesmo poder de decisão. A novidade é a criação de comissões técnicas de marketing, futebol e administrativa com dois representantes do clube e mais dois da MTDF para decidir para onde os investimentos serão direcionados. Há dois focos principais: compra de jogadores e marketing.

Hoje, o Juventus está sem time. No Campeonato Paulista do ano passado, o clube gastou 1 milhão de reais com a folha salarial. Para evitar mais gastos com salários, a diretoria fechou contrato com os jogadores apenas durante o campeonato. A ideia agora é preparar um novo time para disputar o próximo torneio.