Tatuagem da Cruz Templária pode colocar o Vasco no livro dos recordes

globoesporte.globo.com

08/04/2010

Fred Huber e Márcio Iannacca

O Vasco quer entrar para o Guiness Book (livro dos recordes) nesta sexta-feira. A partir das 13h, no bloco 8 do Shopping Downtown, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o tatuador Eric Codo terá a missão de desenhar em 802 vascaínos a Cruz Templária, símbolo do terceiro uniforme do clube, lançado no último dia 22 de março. O recorde anterior é do norte-americano Hollis Cantrell, que fez 801 desenhos em 24 horas, em novembro de 2008

Naquela ocasião, Cantrell desenhou no corpo das pessoas as letras A e Z, com tamanho de 3,1 cm x 7 cm. No caso da campanha cruzmaltina, o tatuador Eric Codo, que já trabalhou para Carlos Alberto, Elder Granja, Rodrigo Pimpão, Ramon, Dedé, Alan Kardec, Paulo Sérgio, Amaral, Leonardo Moura e Willians, foi o escolhido. Para a possível marca ser validada, seis fiscais do Guinness Book no Brasil comparecerão ao evento para avaliar.

De acordo com a empresa contratada pela Penalty, fornecedora de material esportivo do Vasco, o evento está programado para se encerrar às 13h de sábado. Porém, Codo quer terminar o serviço e entrar para o livro dos recordes bem antes do horário previsto.

- Vou tentar quebrar esse recorde. Pretendo fazer uma tatuagem em um minuto e terminar em 13 horas. Se fizer tudo em 24 horas, será muito desgastante. O máximo que já consegui foram 11 tatuagens em 12 horas de trabalho – disse Eric Codo.

A iniciativa atraiu cerca de 14 mil vascaínos. Para participar do evento, o torcedor deveria se cadastrar no site www.vasconapele.com.br. Os 1.600 primeiros pré-inscritos foram contactados por email pela empresa que organiza o evento. O atendimento será por ordem de chegada. Senhas serão distribuídas antes do início do evento.

Recorde de vendas

O departamento de marketing do Vasco divulgou há duas semanas a primeira parcial das vendas da terceira camisa. O clube revelou que mais de 70 mil peças foram comercializadas e que cerca de R$ 500 mil em royalties entraram nos cofres do Gigante da Colina.

A Cruz Templária
A Cruz da nova camisa ganhou notoriedade quando foi adotada pela Ordem dos Cavaleiros Templários. Depois, virou símbolo da Ordem de Cristo, instituição que financiou as grandes navegações portuguesas do século XV, motivo pelo qual as caravelas recebiam as Cruzes.