Tiger Woods perde patrocínio da AT&T após escândalo


31/12/2009

Estadão.com.br

Tiffany Wu

NOVA YORK - A AT&T informou nesta quinta-feira que está dando fim a seu acordo de patrocínio com o golfista Tiger Woods, unindo-se a uma série de empresas que se afastaram dele após um escândalo sexual.

A empresa de telecomunicações norte-americana é a última a se distanciar do primeiro atleta bilionário, abalado por vários casos extraconjugais depois de um misterioso acidente de carro perto de sua casa na Flórida em 27 de novembro.

A AT&T, que anteriormente afirmou estar avaliando seu relacionamento com Woods, divulgou um breve comunicado nesta quinta-feira: "Estamos encerrando nosso acordo de patrocínio com Tiger Woods e desejamos boa sorte a ele no futuro".

Woods embolsava cerca de 100 milhões de dólares anuais por acordos de patrocínio antes dos seus problemas, admitidos como "infidelidade" a sua esposa sueca, Elin Nordegren, em 11 de dezembro. Ele anunciou afastamento por tempo indeterminado do golfe para salvar seu casamento.

O escândalo pode ter custado às empresas patrocinadoras do maior golfista do mundo entre 5 bilhões e 12 bilhões de dólares em perdas, de acordo com um estudo de dois professores de economia da Universidade da Califórnia.

Alguns analistas, no entanto, questionam a precisão do levantamento, embora reconheçam que o próprio valor de mercado de Woods foi afetado pelo escândalo.

Os patrocinadores que revisaram seu relacionamento com Woods incluem a empresa de consultoria tecnológica Accenture, que deu fim ao contrato, e a Procter & Gamble, fabricante da Gillette, que tirou o golfista de suas campanhas de marketing.

Outras empresas, no entanto, como a fabricante de material esportivo Nike, disseram que estão ao lado do golfista.