Blausiegel espera por voos mais altos do São Caetano

Diário do Grande ABC

24/04/2009

Thiago Silva

Diário OnLine

Em meio às desistências de patrocinadores no vôlei feminino — Finasa em Osasco e Telecom em Brusque (SC) —, a Blausiegel confirmou que vai continuar a parceria com a prefeitura de São Caetano na próxima temporada e espera por voos mais altos do time. A equipe do Grande ABC conquistou o terceiro lugar na Superliga 08/09, resultado que não agradou o presidente da indústria farmacêutica, Marcelo Hahn.

A empresa trouxe para o Grande ABC três campeãs olímpicas, Fofão, Sheilla e Mari, mas o time teve problemas durante a Superliga. Primeiro, o técnico Antonio Rizola deixou a equipe no início da competição, alegando problemas pessoais. Depois, as medalhistas de ouro em Pequim demoraram a se entrosar com o restante do elenco.

"Pelo lado do marketing, eu não tenho que reclamar. O retorno foi muito bom. Mas pelo lado esportivo, fiquei decepcionado. A equipe poderia ter chegado à final, pois tinha totais condições", afirmou Hahn.

O São Caetano parou nas semifinais ao ser derrotado pelo Finasa/Osasco por 2 a 1, na série melhor-de-três. No último jogo, o time da Blausiegel perdeu feio (3 sets a 0, com parciais de 25/11, 25/16 e 25/22). "A equipe teve problemas emocionais [nesta partida], pois a gente até entende a derrota, mas é necessário brigar pela vitória".

Elenco - Para a próxima temporada, Hahn quer manter as campeãs olímpicas e buscar reforços de ‘peso''. "Eu quero trazer o que tem de melhor no mercado, mas dependo de outras conjunturas". Sobre Sheilla, que teria recebido propostas de outros times, o empresário disse que somente pode esperar. "Se quiser, ela sai".

Outra campeã olímpica que pode deixar a equipe é a levantadora Fofão, 39 anos, que estaria se aposentando das quadras, mas Hahn acredita que ela permanecerá por mais uma temporada. "Se oferecermos um time vencedor, ela continua".

Comissão técnica - O comando da equipe também deve mudar. Chicão, que assumiu o lugar de Rizola, dificilmente continua. "Queremos uma comissão técnica com cara nova". Existem especulações de que José Roberto Guimarães, técnico da seleção feminina, possa assumir.

No entanto, Hahn lembrou que contratar treinador de ponta também tem seu lado negativo. "Com a seleção, ele já tem seus compromissos. Então, pode acontecer de nossa equipe se preparar para algum torneio sem o técnico, que estará com a seleção, o que atrapalha um pouco".

Ele fez questão de ressaltar que Chicão realizou bom trabalho à frente da equipe. "Ele foi muito bem para quem pegou um time na metade da Superliga".

Mudanças - Hahn criticou o calendário, especialmente o da Superliga. A primeira fase da competição tem quatro turnos, o que é muito extenso, segundo o empresário. "Como dirigente, eu achei decepcionante. Jogamos a decisão do terceiro lugar em uma quinta-feira, sem transmissão da TV", acrescentou.