Corinthians terá de vender muita camisa para lucrar

04/01/2009

Anelso Paixão - O Estado de S. Paulo

 

Clube precisa comercializar mais de 500 mil peças em 2009 para não ter prejuízo

O torcedor corintiano vestiu a camisa e foi fundamental para a volta do time à Série A do Campeonato Brasileiro em 2008. Torceu como nunca e carregou o time no peito com orgulho. Porém, engana-se quem pensa que o clube ganhou mais com a venda de camisas. Embora o presidente Andrés Sanchez tenha falado em 3 milhões de unidades em recente entrevista à televisão, o departamento de marketing do clube informa que o número de camisas oficiais vendidas foi de 500 mil, inferior ao mínimo exigido pela empresa de material esportivo Nike - com a qual o clube tem contrato - para adquirir o direito a receber mais de royalties (compensação ou parte do lucro paga ao detentor de um direito qualquer). "Chegamos perto de superar essa meta, mas não atingimos", diz o gerente de marketing, Caio Campos.

Para 2009, o clube espera dobrar o número de unidades com o efeito da chegada do Fenômeno Ronaldo. A ideia é vender mais de um milhão de peças. Neste caso, então, o Corinthians passaria a ter direito a um retorno maior em royalties. Para o torcedor entender melhor como funciona o contrato entre o clube e a empresa de material esportivo, é preciso saber que a Nike assinou contrato de R$ 5 milhões anuais para 2009. Com isso, tem a garantia mínima de um número de camisas vendidas para valer o investimento. A partir deste número mínimo, então, o clube começa a faturar com royalties. Essa quantia mínima é mantida em segredo por força de contrato. No entanto, levando-se em consideração 2008, pressupõe-se que terá de vender mais de 500 mil camisas.

No orçamento para 2009, o clube espera a entrada de R$ 27 milhões com patrocínios - R$ 5 milhões da Nike, R$ 20 milhões com a empresa que estampar o peito da camisa e R$ 2 milhões com calção e mangas (neste caso, o atacante Ronaldo fica com 80% do valor e o clube com 20%). Com royalties de licenciamento da marca, a previsão é de R$ 3.996.000,00. Para superar isso, vai precisar mais uma vez contar com a participação do torcedor e com o peso do Fenômeno Ronaldo para impulsionar ainda mais as vendas.

Como receita de marketing estratégico, o clube projeta R$ 8.700.000,00. Isso envolve camisetas promocionais, como as deste ano ("Eu nunca vou te abandonar" e "Eu voltei"), que geraram importante retorno financeiro. Embora 2009 tenha apenas começado, o clube já lançou sua primeira, com slogan "Dois mil e 9 fenomenal", usando a imagem do reforço.

Neste marketing estratégico, o clube deve comercializar ainda vários produtos com a marca Corinthians e com o nome do Fenômeno.

Com licenciamento e franquias, a previsão é de um lucro de um pouco mais de R$ 5 milhões. Juntando-se ainda a bilheteria dos jogos, a receita final para 2009 prevê entrada de R$ 32.207.040,00. A receita líquida total, ainda com lanchonete, venda de títulos, taxa de manutenção entre outras é de R$ 109.072.856,00, mas as despesas devem chegar a R$ 108.631,458,00, com superávit de R$ 440.398, segundo dados publicados no site do clube.