Caixa renova patrocínio com confederações


10-04-2008

Informe Sergipe

A Caixa Econômica Federal renovou o patrocínio esportivo com as confederações de Atletismo, Ginástica e Lutas Associadas, além do Comitê Paraolímpico Brasileiro. A continuidade faz parte do projeto da instituição de investir em esportes que promovam a inclusão social e que possibilitem a conquista de resultados que elevem o Brasil no cenário esportivo mundial.


Desde 2001, quando iniciou o apoio à Confederação de Atletismo, a Caixa destinou aos esportes cerca de R$ 56 milhões somente em ação de patrocínio. Com as renovações, o investimento chega a R$ 78 milhões em 2008. Somado com o repasse das Loterias Caixa, o valor ultrapassa R$ 500 milhões.


Além do patrocínio da Caixa, as Loterias Caixa repassam por meio da Lei Agnelo-Piva 2% da arrecadação bruta de todas as apostas ao Comitê Olímpico Brasileiro e ao Comitê Paraolímpico Brasileiro. Do total de recursos repassados, 85% são destinados ao COB e 15% ao CPB.


“O investimento previsto para 2008 gira em torno de R$ 38 milhões, incluindo as confederações, o comitê paraolímpico, as provas de rua de terceiros, circuitos próprios como a Corrida de Rua e a Maratoninha, projetos sociais e especiais, eventos de oportunidade e ações de ativação”, ressaltou o gerente de marketing esportivo, André Luiz Lopes.


Patrocínio 2008 – Confederações e Comitê

CBAT – R$ 12.000.000,00

CBG – R$ 2.826.900,00

CBLA – R$ 500.000,00

CPB – R$ 6.394.800,00

Total – R$ 21.721.700,00


No caso do Atletismo, o investimento que começou com R$ 1,5 milhão chega em 2008 aos R$ 12 milhões com um contrato de patrocínio que se estenderá por mais um ciclo olímpico até 2012. “Hoje temos um valor oito vezes maior. É uma prova de que a Caixa está satisfeita com o retorno que proporcionamos”, comemora o presidente da Confederação, Roberto Gesta de Melo.


Nos XV Jogos Pan-americanos Rio 2007, o atletismo brasileiro conquistou nove medalhas de ouro, cinco de prata e nove de bronze. A melhor performance, até então, era no Pan de Winnipeg, em 1999, com 16 medalhas no total, sendo sete de ouro.


No ano de 2004, com os Jogos Paraolímpicos de Atenas, somou-se ao esporte da Caixa o Comitê Paraolímpico Brasileiro. O apoio contribuiu principalmente para o desenvolvimento qualitativo dos atletas, oportunizando treinamentos adequados e competições relevantes, como também colaborando para o aumento da participação de novos atletas e o interesse do público.


Na Grécia, a delegação paraolímpica brasileira conquistou 33 medalhas, sendo 14 de ouro, 12 de prata e sete de bronze. O número elevou o Brasil à 14ª colocação geral (terceira das Américas, atrás apenas de Canadá e Estados Unidos). Nos III Jogos Parapan-americanos Rio 2007, o Brasil conquistou 228 medalhas, sendo 83 ouros, 68 pratas e 77 bronzes e um inédito primeiro lugar no quadro geral de medalhas.


Em 2006 foi a vez da Confederação Brasileira de Ginástica. O que começou apenas com a ginástica artística e um contrato inicial até julho de 2007, estendeu-se para a ginástica rítmica e de trampolim. No Pan do Rio, a ginástica brasileira superou as expectativas e conquistou sete medalhas de ouro, num total de 16 pódios, com destaque para as medalhas da ginástica artística, com Diego Hypolito e Jade Barbosa.


Para 2008 o investimento na Ginástica vai abranger vários programas, inclusive o Programa Caixa Centros de Excelência, contando com 18 centros. Nesses espaços serão atendidas quase 3.000 crianças, num trabalho de descoberta de jovens talentos e de inclusão social por intermédio do esporte.


A última confederação a integrar a família esportiva da Caixa foi a de Lutas Associadas. Chegando às vésperas do Pan Rio 2007 com o valor de R$ 500 mil, a equipe terminou a competição com a conquista de uma medalha de prata e duas de bronze. A renovação do patrocínio garantiu a participação da seleção de Lutas em mais competições seletivas para os Jogos de Pequim. Também nas Lutas, em 2008 o investimento prevê trabalho de descoberta de jovens talentos e de inclusão social por intermédio do esporte, iniciando pelo centro de treinamento do Rio de Janeiro.