Judoca à venda

Depois de recuperar a confiança e a vaga na seleção para o Mundial de Munique, Sebástian Pereira agora vende sua imagem

Lívia Rodrigues

Ele passou por maus bocados, chegando até a pensar em abandonar os tatames. A eliminação na Seletiva Olímpica para Sydney-2000, por Tiago Camilo, que acabou conquistando a medalha de prata, levou o judoca Sebástian Pereira ao fundo do poço. Mas nada como dar tempo ao tempo. Ele agarrou a primeira oportunidade que teve para voltar à Seleção Brasileira com unhas e dentes e em julho estará em Munique, na Alemanha, disputando uma medalha no Campeonato Mundial.

– A derrota na Seletiva foi uma decepção. Entrei em depressão, foram três meses vagando sem saber qual era o meu objetivo. Pensei em parar e desistir de tudo. Fiquei num vazio muito grande – recordou Sebástian, que contou com o apoio dos amigos e da família para voltar a acreditar em seu potencial.

A medalha de ouro no Mundial Militar no fim do ano passado foi o ponto de partida para a virada na carreira e a recuperação da vontade de lutar e voltar aos tatames. Sebástian, além de tudo, passou a pensar no tempo que perdeu e resolveu investir numa nova forma de gerenciar sua carreira contratando uma empresa de marketing.

– Perdi muito tempo da minha carreira, depois de tudo abri os olhos para outra realidade. Essa empresa vai cuidar de tudo que você possa pensar e que está relacionado a mim. É um divisor de águas, o primeiro passo para uma verdadeira guinada.

Uma das primeiras ações propostas foi transformar Sebástian num outdoor. Sem receber do Vasco há seis meses, a inscrição ‘for sale’, à venda, na camisa foi uma maneira original de tentar encontrar um novo patrocinador.