Quarta-feira, 23 de maio de 2001 Agência Estado

Fifa admite prejuízo de US$ 60 mi

Zurique - A bancarrota da empresa de marketing esportivo ISMM-ISL deve custar à Fifa um prejuízo de aproximadamente US$ 60 milhões, estima o presidente da entidade, Joseph Blatter. O jornal suíço “Blick” publica em sua edição desta quarta-feira que o dirigente se reuniu com os 13 patrocinadores da Copa do Mundo de 2002 para acalmá-los e dar garantias que vai assumir todo o departamento de futebol da empresa. O comando do setor ficará sob a orientação de Patrick Magyar, demitido pela ISL.

A Fifa vendeu à ISMM/ISL os direitos extra-europeus de transmissão para televisão para as Copas do Mundo de 2002 e 2006 por US$ 790 milhões, além dos direitos de comercialização por outros US$ 450 milhões. O grupo alemão Kirch possui opção de compra dos direitos mundiais de transmissão. O discurso do todo-poderoso mudou. Anteriormente, Blatter garantia que o derramamento de dólares ficaria em torno de US$ 20 milhões no máximo, titubeou também ao temer a abertura da “caixa-preta” da ISL, onde “poderia ter desaparecido dinheiro dos nossos patrocinadores, utilizado para tapar os rombos da empresa em outros esportes, como por exemplo, o tênis”.

Blatter garantiu que vai processar os jornais “Sueddeutsche Zeitung” e “Berliner Zeitung”, da Alemanha, e a revista semanal suíça “Weltwoche”, pelas reportagens publicadas insunuando o envolvimento do dirigente em um esquema de corrupção. “Se alguém afirma que eu sou corrupto, então, vai ter que provar diante da justiça”, disse. Ele considera os alemães seus principais inimigos. “Os alemães queriam me derrubar na eleição de 1999 com acusações de corrupção e agora ocorre novamente isso. Não obstante, meus advogados estão trabalhando contra isso”, garantiu.