Noroeste em busca da sua independência financeira


Gabriel Pelosi - JC net - 10/09/2006


O futebol é o esporte coletivo mais praticado no mundo. Devido a popularidade que envolve o esporte, o futebol tornou-se um produto a ser comercializado, um grande negócio que atrai cada vez mais o interesse de firmas que procuram um vínculo saudável para comercialização de seu produto. Isso se traduz em marketing esportivo. Grandes clubes do Brasil como São Paulo, Corinthians, Internacional, entre outros, já usufruem desse filão de mercado.

Em janeiro deste ano, o Noroeste, como maior ícone esportivo da cidade, deu início ao planejamento para uma campanha de marketing esportivo. “O principal objetivo do projeto de marketing é fazer com que o Noroeste ande com as próprias pernas daqui para frente”, afirma o assessor de marketing do clube, Evaldo Armani.

Surgiu então o Plano Noroeste. Com iniciativas variadas, o plano busca a auto-suficiência do clube. Os produtos publicitários vão desde o sócio-torcedor até o projeto Arena Noroeste, onde um patrocinador master usaria todo o quarteirão das dependências do clube para expor sua marca, a exemplo do que foi feito no Estádio Olímpico de Munique, um dos palcos da última Copa do Mundo.

O aumento do número de cadeiras cativas negociadas foi a primeira iniciativa do projeto. Até 2005 eram 60, hoje esse número chega a quase 400.

Pesquisa Ibope

A pedido do Noroeste, o Ibope, ao lado da Informídia, realizaram uma pesquisa que analisou a exposição em mídia no primeiro trimestre deste ano. Foi constatado que, do dia 1 de janeiro de 2006 à 15 de abril de 2006, das 22 partidas realizadas pelo Noroeste no Campeonato Paulista, 17 foram transmitidas, sendo três em emissoras abertas e 14 em emissoras a cabo. Gerou 4.101 reportagens de TV acumulando 49 horas de exposição na TV.

A pesquisa também verificou 420 reportagens em jornal, representando 15.260 centímetros, o que eqüivale a 53 páginas. Transformando toda essa exposição em anúncio pago, o Noroeste gastaria aproximadamente R$ 96 milhões.

A pesquisa se aprofundou ainda mais e constatou as aparições de cada marca patrocinadora do Noroeste. Nos 105 dias pesquisados, as marcas relacionadas ao Noroeste estiveram presente na mídia 82 e contabilizaram 8.225 aparições, ocupando um tempo de exposição próximo de 12.397 segundos o que dá 3 horas. O valor relativo ao espaço ocupado na mídia representa aproximadamente R$ 6.800 milhões.

O Plano Noroeste definiu os espaços a serem usados para exposição de marca patrocinadora. No Campeonato Paulista deste ano, mais de 20 empresas se beneficiaram com a visibilidade nas placas no interior do Estádio. Para exemplificar, um investimento de R$ 4.500, teve o significativo retorno de R$ 380.000 em espaço ocupado em mídia.

O Plano Noroeste definiu que o clube ainda possui 600 metros de muro para serem explorados e três ônibus personalizados para viagens dos times de base e profissional. O projeto também inclui a loja Noroeste Mania, que vende produtos oficiais como uniformes do time, chuteiras, bolas, etc.

Futuros projetos

Como futuros projetos em andamento, o Noroeste está providenciando um placar eletrônico full collor, que transmite imagens e informações online; novos camarotes VIP, com capacidade para receber até dez pessoas, além de uma praça de alimentação com vistas para o campo.

Segundo o assessor de marketing, Evaldo Armani, a intenção é aumentar a demanda de torcedores nos jogos do Noroeste, além de atrair o investidor local. “Queremos deixar o Estádio mais confortável para que a cidade abrace o Noroeste.”

“Temos o projeto pronto, mas dependemos de patrocinadores para viabilizarmos. Estamos transformando o Noroeste em clube de primeiro mundo”, completa Armani.

A iniciativa é inédita e poucos clubes no Brasil tiveram tal atitude. Com o projeto em funcionamento, podemos dizer que o Noroeste tem todas as chances de se firmar como clube grande. A partir daí, estar na divisão de elite do futebol nacional é questão de tempo.