Entra em campo o plano B do marketing esportivo

Empresas ligadas aos jogadores do Brasil começam a mudar campanhas

04/07/2006 - Sérgio Lorena - Fonte: GLOBOESPORTE.COM

O fracasso da seleção brasileira na Copa do Mundo da Alemanha começa a mexer na campanha publicitária de várias multinacionais que apostaram no talento do elenco convocado pelo técnico Carlos Alberto Parreira. O plano B entra em campo, e estão saindo de cena outdoor, display e até comercial de TV envolvendo os atletas do Brasil. Ninguém quer, momentaneamente, associar sua imagem aos jogadores derrotados e criticados por toda a mídia nacional.

O banco Santander começou a retirar todo o material utilizado ligado à Copa na sua rede de agências. A ordem é dar um bico nos displays e outdoors que usam as imagens de seis jogadores do Brasil, espalhados por todo o País.

A Vivo também já mandou frear o comercial de TV em que usava o discurso de Parreira e de outros treinadores. A Brahma mudou de estratégia e trocou seus filmes com o jogador Ronaldo por outro com o cantor Zeca Pagodinho.

Até o final de semana, devem alterar suas campanhas Guaraná Antárctica e Nike.

Estima-se também que as empresas brasileiras gastaram R$ 3,5 bilhões em produtos associados ao futebol e colocados à venda em todo o mterritório nacional. Encontrou-se de tudo no mercado: bandeiras, cornetas, trajes íntimos, camisinhas, biquínis, refrigerantes, comestíveis, entre outros. Está tudo em liquidação nas lojas ou em fase de recolhimentos pelos fabricantes.