São Paulo usa marketing para tentar multiplicar torcida


28/12/2005
Luís Ferrari - Folhapress

O São Paulo acredita que terá a maior torcida do Brasil em 2013. Para conseguir esse objetivo, a partir do próximo ano, pretende atrair para seus quadros até quem ainda não nasceu.

Turbinado pelos novos contratos de fornecimento esportivo e patrocínio, que, segundo o clube, trarão o dobro da receita dos compromissos anteriores, o São Paulo apresenta um pacote de medidas para ampliar a torcida.

Uma delas é o Batismo Tricolor. A idéia é uma cerimônia no gramado do Morumbi, com certificado, hino e padrinhos.

De acordo com as metas são-paulinas, o primeiro batismo deve acontecer durante a Libertadores de 2006, por cerca de R$ 50.

Outra iniciativa visando os mais jovens é uma promoção entre alunos de escolas públicas para entrarem em campo com os jogadores. Atualmente, só quem participa das escolas de futebol do São Paulo tem esse direito.

"Com a promoção, damos oportunidade também a outras crianças e mostramos que há interesse em várias classes sociais", diz Júlio Casares, diretor de marketing do clube, que tem outros planos para capitalizar com a conquista de fãs.

"Uma parte dos mascotes pode ser recrutada entre torcedores que esgotarem a cota mensal de ligações são-paulinas no LigGol", explica o dirigente, que pretende incentivar a participação a favor do time no título de capitalização que deve ser lançado em 2006.

Há também os projetos para "os torcedores das cativas", como Casares define a Calçada da Fama. "O torcedor que desejar homenagear seu ídolo comprará uma lajota e terá seu nome gravado para sempre no Morumbi ao lado do nome do atleta", diz Casares.

A Calçada da Fama será uma das atrações do Morumbi Hall, centro de lazer e entretenimento que será construído no estádio.

"Pretendemos aumentar o fluxo ao estádio e diversificar sua freqüência para novas receitas", conta o dirigente, para quem o objetivo pode ser alcançado sem gastos extra para o clube.

Como o contrato com a nova fornecedora de material esportivo, a Reebok, prevê a construção de uma loja no local, o São Paulo pretende alugar outros espaços para um cinema, um restaurante e uma academia de ginástica.

Fora da capital paulista, também há investimentos. Na viagem ao Japão para o Mundial, o São Paulo já iniciou o programa de Embaixador Tricolor.

O papel é desempenhado por um são-paulino residente fora de São Paulo. "É o representante oficial do clube. Isso que ajudará no crescimento da torcida em outros Estados", conta o dirigente.