Manchester United pode ditar os novos rumos do futebol

 

BBC Brasil 24 de maio, 2005

Erich Camara

A compra de 75% das ações do time de futebol Manchester United pelo magnata americano Malcolm Glazer pode ditar os novos rumos do futebol mundial.

A opinião é de David Smith, editor da SportBusiness International, uma revista britânica especializada na perspectiva econômica dos esportes.

Para ele, o investimento de US$ 1,47 bilhão (cerca de R$ 3,62 bilhões) em ações do clube inglês de certa forma contrariou a idéia que se tinha de que o Manchester United já tinha maximizado o seu potencial lucrativo.

"Esse era o clube que a maior parte das pessoas acreditava estar operando com lucro máximo, mas, claramente, Glazer acredita que pode fazer o clube ainda mais rico, senão não teria investido todo esse dinheiro", afirmou Smith à BBC Brasil.

De fato, o Manchester United encabeça há nada menos que oito anos a lista dos times mais ricos do mundo elaborada anualmente pela consultoria Deloitte.

Líder

Na lista publicada no início do ano, ele vem à frente do Real Madrid, do AC Milan, Chelsea e Juventus com um faturamento de 259 milhões de euros (cerca de R$ 766 milhões).

O resultado é quase 8 milhões de euros melhor do que o do ano anterior, e mais de 20 milhões de euros superior ao do Real Madrid.

No entanto, o que é visto pelos especialistas da Deloitte como uma das maiores vantagens do clube inglês é a divisão das fontes de renda: enquanto a maior parte dos clubes europeus depende fortemente das rendas de transmissão dos jogos pela televisão, no Manchester United, o equilíbrio é marcante.

Apenas 36% dos 259 milhões de euros faturados em 2004 vieram de contratos televisivos. O valor é idêntico ao faturado com contratos comerciais e 8% maior do que a renda arrecadada com os jogos do gigante vermelho.

Outro lado

O outro lado desses números fabulosos – segundo a Deloitte, os 20 clubes mais ricos do mundo devem romper a barreira dos 2 bilhões de libras esterlinas (quase R$ 9 bilhões) em 2005 – que atraíram Glazer do outro lado do Atlântico, é bem menos glamouroso.

"Acho que a bolha já explodiu para clubes menores principalmente quando eles decidiram oferecer ações na bolsa de valores. Para vários deles, o valor do clube já caiu", disse David Smith.

Para o especialista, o futuro econômico desses clubes menores será cada vez mais difícil.

"A alta rentabilidade vai andar de mãos dadas com o sucesso nos gramados, porque quanto mais sucesso nos campos, mais espaço há para promover a marca e gerar mais renda para o clube", explica Smith.

Soccerex

Essas oportunidades de lucro no futebol ganharam um palco dedicado só aos negócios. A feira Soccerex, em Dubai, nos Emirados Árabes, reúne anualmente as principais marcas do futebol mundial.

Neste ano, em novembro, a feira volta a acontecer e vai abordar, entre outros assuntos, as oportunidades de negócios na Ásia.

Entre os expositores, que já garantiram mais de 80% da área de exibições, estarão as federações, de futebol, patrocinadores, agentes e empresas de marketing esportivo e os principais clubes.

Entre eles, o Manchester United de Glazer que, mais do que nunca, estará em busca de novas formas de explorar a sua poderosa marca.