Bolsa Atleta: governo financia jovens sem patrocínio

 

Bolsa Atleta: governo financia jovens sem patrocínio


O Ministério do Esporte já abriu as inscrições da Bolsa Atleta, uma nova forma de financiamento destinada a atletas carentes com alto potencial de competição. Para o ano de 2005, já estão reservados R$ 5 milhões, dinheiro suficiente para garantir o treinamento de mais de 2 mil atletas. O objetivo da proposta do Ministério do Esporte, é permitir que o atleta treine sem precisar abandonar os estudos ou o esporte para ajudar no sustento da família.
Com a Bolsa Atleta, o Ministério espera também melhorar os resultados do Brasil nos Jogos Pan-americanos de 2007 e nos Jogos Olímpicos de 2008, que serão realizados na China. "A meta é fazer com que o Brasil não perca mais os talentos esportivos. Com esse novo benefício queremos que nossos atletas se dediquem exclusivamente ao esporte, sem ter que parar os treinamentos, nem desviar o potencial para completar a renda familiar", declarou o ministro do Esporte, Agnelo Queiroz.
O programa reforça uma ampla ação do governo federal que promove o patrocínio de atletas brasileiros por meio de empresas estatais (Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Correios, Petrobrás e Eletrobrás). Essas empresas financiam esportes, como o vôlei de quadra e de praia, atletismo e o iatismo, responsáveis pelo maior número de medalhas já conquistadas pelo país em jogos olímpicos. O patrocínio também é extensivo aos atletas parolímpicos que nas últimas Paraolimpíadas de Atenas, em 2004, fizeram a melhor campanha do Brasil nos jogos.
Terão direito à Bolsa Atleta crianças e adolescentes a partir de 12 anos, em quatro modalidades: estudantil, nacional, internacional, olímpica e paraolímpica. O pagamento do benefício será feito mensalmente, durante um ano, por meio da Caixa Econômica Federal. O atleta poderá prorrogar a bolsa desde que esteja dentro dos pré-requisitos da sua categoria. No final de um ano, o atleta terá que fazer uma prestação de contas. A sociedade também poderá fiscalizar o benefício. O Ministério do Esporte estará disponibilizando pelo seu site oficial (www.esporte.gov.br) o nome dos contemplados com a bolsa.
Na categoria estudantil, que vai pagar um benefício de R$300, o atleta deve ter mais de 12 anos e estar regulamente matriculado. Para receber a bolsa, o candidato precisa ter se classificado entre o primeiro e terceiro lugar nos jogos estudantis em sua modalidade. Nos jogos coletivos, deve estar classificado entre os 24 melhores.
Para a categoria nacional, onde o auxílio chega a R$ 750, o atleta precisa ter mais de 14 anos, estar filiado a uma entidade desportiva e ter participado de competição no ano anterior, com classificação entre 1?dm; e 3?dm; lugar no evento máximo organizado pela entidade ou no ranking nacional da modalidade.
Para ter acesso ao recurso da categoria internacional, no valor de R$1.500, o candidato deve ser maior de 14 anos, ser filiado à entidade de sua modalidade e ter participado de competição com classificação entre os três primeiros colocados ou participado dos jogos Sul-Americano, Pan-Americano ou Parapanamericano, ou ainda dos jogos mundiais.
Na categoria Olímpica e Paraolímpica, a Bolsa Atleta garante o pagamento de R$2.500. O candidato, maior de 14 anos, deve ser filiado a uma entidade esportiva e ter integrado as delegações brasileiras como atleta ou ter participado das Olimpíadas ou Paraolimpíadas de Atenas.
As inscrições para o programa estarão abertas até o dia 31 de março e para participar basta o interessado preencher o formulário de inscrição pela internet, no site do Ministério do Esporte (www.esporte.gov.br). O Ministério também aceita inscrições via postal: Secretaria Nacional de Esporte e Alto Rendimento - Programa Bolsa Atleta -Esplanada dos Ministérios, bloco A, 7?dm; andar, CEP 70.054-900, Brasília/DF. Também pela internet, o atleta encontrará um link para tirar todas as suas dúvidas sobre o programa.