Speedo investe no mercado de bicicletas

 

Sábado, 9 de outubro de 2004

Speedo investe no mercado de bicicletas
Nome que se destaca nos esportes aquáticos quer ampliar conceito da marca

VERA DANTAS

Estadão.com.br

A Speedo, sinônimo de óculos para natação e produtos voltados para os esportes aquáticos, decidiu usar a força de seu nome para conquistar novos mercados e ampliar o conceito da marca. No fim do mês a empresa lança 11 modelos de bicicletas com a grife Speedo. A intenção, num período de dois anos, é ganhar 15% de um mercado que no ano passado movimentou R$ 2 bilhões no Brasil. As novas bikes devem competir principalmente com as marcas Caloi e Sundown.

Para lançar a novidade, a Speedo fechou um contrato de licenciamento com a Track&Bikes, uma das quatro principais fabricantes do produto no País. "Será a primeira coleção de bicicletas da marca em todo o mundo", diz o diretor de Marketing da Speedo no Brasil, Roberto Jalonetsky. A iniciativa é pioneira e será testada no mercado nacional nos próximos dois anos.

Só após esse período, explica, é que o produto poderá ser exportado ou fabricado em outros países onde a marca está presente.

Além das bicicletas, a estratégia da Speedo é entrar em outros nichos de mercado. A empresa quer se tornar grife de um "estilo de viver", com produtos associados a esportes, lazer e qualidade de vida. A decisão de ampliar o conceito da marca - que nasceu na Austrália em 1928 e está presente em mais de cem países - é mundial. Aos poucos, a Speedo vem deixando de ter seu nome associado somente ao mundo da água.

"Já temos produtos para fitness, para lazer, incluindo bonés, meias, agasalhos e mochilas", diz Jalonetsky. Os próximos passos da marca no Brasil são o relançamento de uma linha de relógios esportivos e a entrada no mercado de chinelos, sandálias e papetes. "Há cerca de três anos começamos aos poucos a diversificar a linha de produtos e a buscar a expansão do mercado."

O objetivo da empresa com as bicicletas, diz Jalonetsky, é atingir o público jovem, interessado em marcas globais. Mas, ressalva, queremos ter preços competitivos. De acordo com ele, existem poucas marcas internacionais de bicicletas no mercado brasileiro, e com preços elevados. Até o fim do ano, a expectativa da Speedo é vender cerca de 30 mil bicicletas.

"Estamos recém-saídos de um ano de Olimpíadas, um fato que deve ajudar bastante nas vendas", observa o executivo.Além disso, acredita, o produto deve atrair um consumidor que sempre teve identidade com o estilo da marca de comportamento e casualidade.

Para produzir as novas bikes, a Speedo investiu R$ 2 milhões. A partir do próximo mês, elas começam a chegar ao varejo com preços de R$ 320 a R$ 1.500.