US Open é só festa em Nova York

 

US Open é só festa em Nova York

Nova York, 29 (AE) - O Torneio Aberto de Tênis dos Estados Unidos, que começa amanhã e vai até o dia 12, em Nova York, tem bons motivos para ser definido como uma Disneylândia do tênis. A competição conta com ingredientes suficientes para quem quer festa, emoção e alternativas de lazer. Nas quadras estarão os melhores tenistas do mundo em busca de prêmios milionários.

Ao lado das raquetadas e das bolinhas que pipocam por 24 quadras, o parque do complexo esportivo de Flushing Meadows oferece todo tipo de diversão, boa comida, muito sol, feiras de esportes, lojas com os últimos lançamentos de equipamentos e moda esportiva.

A torcida no US Open Championship é também mais agitada e barulhenta do que em qualquer outro torneio de tênis. Ninguém fica quieto nas arquibancadas: a todo momento, alguém levanta para buscar um hambúrguer, comprar um sorvete ou até mesmo para relaxar. Afinal, não é nada simples aguentar um jogo de cinco sets debaixo de sol de final do verão nova-iorquino. Por isso, o US Open está longe da sisudez de Wimbledon ou do charme de Roland Garros.

Para se chegar a Flushing Meadows, próximo ao aeroporto de La Guardia, há vários jeitos - limusines, ônibus, metrô, carro. Mas a forma mais divertida talvez seja a do pelotão da torcida uniformizada. Os organizadores criaram uma espécie de "kit do torcedor": compra-se um tipo de ingresso, com direito a camiseta, caderno para autógrafos, informações como a programação dos jogos, ranking dos tenistas, transporte e lugar marcado.

Bons negócios - Para os tenistas, o Aberto dos Estados Unidos não é o melhor lugar para se jogar. Ninguém esconde série de desconfortos, como o forte cheiro de hambúrguer que invade todo o parque, o sol violento, o barulho da torcida, os jogos à noite, muitas vezes chegando até a uma hora da manhã. Apesar disso, ninguém reclama. Todos se inscrevem e se empenham em busca de boa campanha.

Superar as primeiras rodadas no Aberto dos Estados Unidos pode significar muito mais do que prêmios e pontos. Há perspectiva de abrir as portas para grandes contratos de patrocínio. Em Flushing Meadows estão as maiores empresas do mundo no ramo esportivo, com executivos de olhos atentos em busca de novos talentos e personagens interessantes para colocar suas verbas de marketing, com contratos vantajosos para os jogadores.

Por tudo isso, o Torneio Aberto dos Estados Unidos é um torneio bem diferente, em que o tênis é um bom pretexto para diversão, negócios em duas semanas de muitas emoções e superproduções.


©Agência Estado.Aedata


Chiquinho Moreira Leite

Fonte: AE, 29-08-1993