Diadora pagando bem ao Palmeiras

Quinta-feira, 29 de maio de 2003

MARCELO ROZENBERG - Jornal da Tarde

Diadora pagando bem ao Palmeiras

Mesmo na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, a marca Palmeiras não pára de crescer. A assinatura do contrato com a Diadora (multinacional de origem italiana com braço no Brasil), que fornecerá pelos próximos três anos e sete meses o material esportivo para todas as categorias das equipes de futebol, basquete e hóquei, trará aos cofres do clube R$ 250 mil mensais, dos quais R$ 150 mil em dinheiro. O valor, equivalente ao que a Nike paga ao Corinthians e superior aos R$ 200 mil que a Topper investe no São Paulo, será utilizado na contratação de jogadores.

Rodrigo Fabri, que está no Grêmio, mas pertence ao Real Madrid, é o primeiro nome da lista. O Palmeiras também receberá uma participação da Diadora por título conquistado.

A Pirelli já anunciou o interesse em se reunir nos próximos meses com o presidente Mustafá Contursi para renovar o contrato de patrocínio das camisas do Departamento de Futebol, que atualmente rende US$ 2 milhões anuais ao clube. "Estar na Segunda Divisão não inibiu o interesse de multinacionais porque o amor de 12, 13 milhões de adeptos e consumidores em potencial foi mantido. Pelo menos dez empresas nos procuram por mês para licenciar seus produtos", explica Patrice Rosenbaun, diretor de marketing do Palmeiras. Nos próximos meses, deverá ser lançado o cartão telefônico com a logomarca do clube, além de um CD multimídia, contando sua história.

Segundo Luís Maia, responsável pelo gerenciamento da Diadora no Brasil e na Argentina, o fato de o Palmeiras ter sido fundado por imigrantes italianos pesou na decisão de associar a marca ao clube. "O Palmeiras é o maior clube italiano do Brasil e esse fato sensibilizou os executivos da matriz.

Esperamos fornecer o material esportivo já em julho."

Assim como a Pirelli, a Diadora terá um camarote no Parque Antártica para receber convidados e clientes nos dias de jogos. Também vai explorar as placas de publicidade do estádio e da Academia de Futebol. Em breve, a empresa colocará à disposição do torcedor três camisas com preços variáveis.

A mais barata deverá custar R$ 30, a mais cara, R$ 100. "Vamos fortalecer a butique do Parque Antártica e implantar lojas dentro do clube, que funcionarão apenas em dias de jogos. A medida vai inibir a ação dos marreteiros", acredita Rosenbaun.

A Pirelli também comemora a parceria com o Palmeiras, iniciada em 2001, e planeja novas ações de marketing. "O sucesso decorreu da mentalidade dos dirigentes do clube, que não são imediatistas", explica Marcos Caruso, executivo nomeado pela empresa para cuidar do relacionamento com Mustafá Contursi. Os ingressos para a partida de sábado contra o CRB, às 16h no Parque Antártica, estão à venda em quatro postos: Parque Antártica, Academia de Futebol (Avenida Marques de São Vicente, 2650A), Parque Antártica Bar (Rua Maracaí, 119 - Aclimação) e Rua Xavier de Almeida, 1312 - Ipiranga.