O Corinthians quer dividir um Morumbi 'chique' com o SP

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2003


O Corinthians quer dividir um Morumbi 'chique' com o SP

Em vez de erguer seu estádio, o clube vai propor a construção em parceria de uma área VIP no do São Paulo, com ambiente climatizado, bar e restaurante
Enquanto o novo estádio do Corinthians não sai do papel - e ontem a construção dessa arena para 40 mil pessoas voltou à pauta numa reunião no Parque São Jorge -, o clube trata de formular uma proposta que desvincule o mando de seus jogos do Pacaembu.
Carla Dualib, da empresa de marketing esportivo SMA, foi a escolhida pelo clube presidido por seu avô Alberto para apresentar ao São Paulo o projeto que pretende dividir custos e receitas da nova área VIP do Morumbi - um produto para 1.500 torcedores, no mínimo, que poderão assistir aos jogos em ambiente climatizado, com serviços de bar e restaurante.
"Estamos elaborando a proposta. Ainda não sentamos para conversar com os dirigentes do São Paulo", disse a executiva, que há 15 anos trabalha com marketing. O espaço a ser utilizado para tal área vai acabar com as cadeiras cativas inferiores azuis numeração ímpar e vermelhas numeração par.
"Questões políticas" são apontadas pela administração do Pacaembu para justificar o fato de o Corinthians estar procurando outro campo para mandar seus jogos, em detrimento do local preferido pela torcida. Dirigentes do Corinthians alegam que são abusivas as taxas que a Prefeitura cobra pelo uso do Estádio Paulo Machado de Carvalho. Nos últimos jogos ali realizados pelo clube, nem a taxa de limpeza foi cobrada, segundo a administração do estádio.
A alternativa dos dirigentes do Parque São Jorge foi elaborar um plano adequado a uma iniciativa lançada pelo São Paulo no ano passado: o tratamento VIP. "Temos diversos estudos para o Morumbi, levando em conta as exigências do Estatuto do Torcedor", disse ontem Domingos Morais, diretor-adjunto de marketing do São Paulo. "Um deles vem sendo posto em prática desde agosto. Os torcedores se dirigem a um bolsão de estacionamento perto do Shopping Morumbi e de lá pegam uma van que os transporta ao estádio e depois os leva de volta. São 300, 400 torcedores por jogo que já têm feito isso."
O São Paulo não acha que a medida satisfaça seus torcedores. "Vamos fazer essa área VIP no Morumbi, independentemente de qualquer proposta externa. É lógico que se existir interesse de um clube como o Corinthians e já tivemos uma conversa informal nesse sentido, a idéia parece interessante."
Hoje às 18h, o presidente Marcelo Portugal Gouvea e os homens de marketing do clube definem os detalhes do espaço VIP. Uma das razões para que o São Paulo aceite conversar com possíveis parceiros diz respeito ao dinheiro necessário para construir esse espaço. "O São Paulo faz, por ano, no Morumbi, no máximo 35 jogos. Se o Corinthians mandasse 25 jogos no estádio, nosso custo seria mais razoável."

WANIA WESTPHAL Jornal da Tarde