Festival USP Petrobras das Águas no Cepeusp


ZDL 28/10/2002

São Paulo (SP) - As equipes EAS-Vit Shop na categoria masculina e Paulistano-New Cad-Água Marinha na mista são as novas campeãs brasileiras de canoa havaiana em provas de velocidade. As decisões dos títulos foram disputadas neste fim de semana no Festival USP Petrobras das Águas, na Raia Olímpica, na Cidade Universitária. Essa foi a primeira vez que uma competição desta modalidade, típica dos oceanos, foi realizada fora do mar, em águas totalmente paradas. As competições tiveram baterias de 2 mil metros, numa única reta.

Além dos atletas que já participam da canoa havaiana, o evento teve convidados ilustres, que fizeram bonito nas remadas. O principal nome foi Sebastián Cuattrin, maior nome da canoagem brasileira, com nada menos que 90 títulos nacionais no currículo e três participações em olimpíadas (Barcelona, em 1992, Atlanta, em 96, e Sydney, em 2000). Ele foi um dos integrantes da equipe do Espéria, que montou um “dream team” para vencer a categoria mista (três homens e três mulheres).

O Festival USP Petrobras das Águas, idealizado pela Cepeusp e Maxi Comunicação, foi realizado durante nove dias na Cidade Universitária. Além do Campeonato Brasileiro de Canoas Havaianas e do Campeonato Brasileiro de Canoagem de Velocidade, o evento tem competições de caiaque pólo, de slalom em águas calmas e de remo (nos dias 19 e 20, foram disputados os Campeonatos Brasileiros Feminino e Sênior B.

Além do esporte, o Festival das Águas teve preocupações sociais e ecológicas, com a exposição de fotografias sobre o tema e a realização de diversas palestras para os públicos adulto e infantil.

Para Cláudio Pereira, da Maxi Comunicações, o evento foi um sucesso. “O alerta para a população em geral sobre a questão da preservação e uso racional da água e a importância dos aspectos sociais apresentados no projeto foram bem recebidos e com certeza marcaram presença. A divulgação dos esportes a remo, como canoagem, remo, canoa havaiana, caiaque pólo e slalom também foi bem-sucedida.”

Segundo Cesar Sbrighi, do Cepeusp, a estrutura da Universidade contribuiu para o bom andamento do evento. "A USP tem uma boa infraestrutura para este tipo de evento, utilizamos os auditórios, a arquibancada, o estacionamento, a segurança, além de contar com a própria Raia Olímpica, que é uma das poucas existentes no Brasil. Nós frequentemente utilizamos nossa estrutura para abrigar eventos de grande porte, como a Copa Philips Expression de Futebol Universitário, que vem acontecendo nos últimos meses e abrigamos também diversos shows."

Outro fato marcante do evento, segundo Cláudio Pereira, foi a comemoração dos 30 anos da raia, que apesar de ser um mote festivo traz escondido a triste realidade da desativação do Rio Tietê como local para a prática de esportes devido a poluição. “Acredito que os objetivos foram atingidos e o projeto tem e terá um bom retorno sob todos os aspectos.”