Troféu Brasil viaja a Brasília por patrocínio


Troféu Brasil viaja a Brasília por patrocínio

GUILHERME ROSEGUINIDA REPORTAGEM LOCAL

Utilizar o principal campeonato da natação do país
como ferramenta política para perpetuar uma das
parcerias mais longevas do esporte amador brasileiro.
É com esse objetivo que a Confederação Brasileira de
Desportos Aquáticos (CBDA) promove de hoje a domingo,
em Brasília, a 42ª edição do Troféu Brasil.
A escolha da capital federal faz parte de uma
estratégia da CBDA para renovar o contrato com a
Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Iniciado
em meados de 1991, o patrocínio rende R$ 4,5 milhõesmensais à entidade.
"Decidimos realizar a competição em Brasília por uma
questão política. Quero mostrar aos candidatos à
presidência que o patrocínio dos Correios rendeu
ótimos frutos para a natação e precisa ser renovado",
disse Coaracy Nunes Filho, presidente da entidade.
Desde o início da gestão dos Correios, o Brasil obteve
cinco medalhas em Olimpíadas, 13 em Mundiais e 39 em
Pan-Americanos. Por meio de sua assessoria de
imprensa, a empresa informou que o retorno de
visibilidade com o patrocínio é "muito bom" e que
existe uma pré-disposição para renovação do contrato.
Nunes, porém, teme que o futuro presidente cancele o
envio de recursos para a natação.
"Esse patrocínio é a espinha dorsal da CBDA. Não
saberia o que fazer se não contasse com essa verba napróxima temporada".
Se agradou aos dirigentes, a escolha de Brasília não
produziu o mesmo efeito nos competidores.
"A piscina não é das melhores, a umidade do ar é baixa
e a altitude de Brasília é bem maior do que o nosso
padrão", explicou o técnico do Flamengo, ReinaldoDias.
Com 33 atletas, o Flamengo, clube que mais triunfou no
evento -11 títulos- tenta quebrar um jejum que perduradesde 1991.
O custo da viagem à capital federal também prejudicou
os times. O Troféu Brasil serve como seletiva para o
Pan-Americano de 2003, na República Dominicana.

 

Clubes investem em estrangeiros

A alta do dólar atrapalhou, mas não impediu as
principais equipes nacionais de reforçarem seus
elencos com estrangeiros para a disputa do TroféuBrasil.
Quem mais investiu foi o Flamengo. Além de Pamela
Hanson (EUA), especialista em costas e borboleta, o
clube contratou a ucraniana Yana Klochkova, campeã
olímpica nos 200 m e 400 m medley e mundial dos 400 m
livre e 400 m medley. O Pinheiros continua com o
argentino Jose Meolans, campeão mundial em piscina
curta (25 m) dos 50 m livre e medalha de prata nos 100m.
Já o Minas Tênis Clube terá os ucranianos Volodymyr
Nicholaychuck, especialista em provas de costas e
medley, e Olga Beresnyeva, que disputará os 200 m, 400
m, 800 m e 1.500 m nado livre.
Entre os brasileiros, o destaque é Fernando Scherer,
dono de duas medalhas olímpicas, que vai defender o
Primeiro de Maio, de Santo André. Ele não esteve nas
principais competições do Brasil no último ano. (GR)