Fifa combate pirataria na Copa


Quarta-feira, 15 de maio de 2002 - O Estado de São Paulo
Fifa combate pirataria na Copa


Genebra - Nunca na história das Copas a logomarca do Mundial foi tão copiada como neste ano. Até agora, a Fifa já conseguiu identificar quase 2 milhões de produtos, em 51 países, que se utilizam ilegalmente do slogan da competição na Coréia e do Japão para aumentar suas vendas. Só no Brasil, sete empresas estão sendo processadas pela entidade pela utilização ilegal dos logotipos.

"Não podemos revelar quais são essas empresas até que os casos estejam solucionados", afirma uma assessora da entidade sediada em Zurique.

Entre os itens que mais se utilizam irregularmente do slogan da Copa estão bolas de futebol, bebidas, camisas e brinquedos.

Segundo a Fifa, 90% dos casos identificados foram punidos e os produtos retirados de circulação. "A Copa do Mundo é o maior evento esportivo do planeta e seu poder de atingir as massas o faz uma perfeita plataforma para as empresas que querem fazer marketing de seus produtos", afirma um economista da Fifa.

Apenas 15 empresas têm o direito de usar o slogan da Copa: Adidas, Avaya, Budweiser, Coca-Cola, Fuji Film, Fuji Xerox, Gillette, Hyundai, JVC, KT/NTT, MasterCard, McDonald´s, Philips, Toshiba e Yahoo!. De acordo com as regra da Fifa, essas empresas são as únicas que podem se utilizar do logotipo, do mascote e da imagem do troféu em seus comerciais.

O último produto irregular identificado foi a cerveja irlandesa Comans, que vendia latas com o emblema da Copa de 2002. A justiça determinou que o produto fosse retirado das prateleiras dos supermercados europeus.

Segundo a Fifa, um verdadeiro exército de advogados foi montado para identificar os produtos que se utilizam da marca da Copa. "Temos até mesmo acordos de cooperação com aduanas e polícias de vários países", afirma um funcionário da entidade.

Além disso, a Fifa conta com especialistas que buscam nos sites de Internet propagandas irregulares que se utilizam dos emblemas da Copa.


Jamil Chade